I am Article Layout


Escolha um perfil:

Este conteúdo é para os investidores do tipo: Intermediário e Investidor privado.

Você é um Institucional?

Oportunidades de investimento temático em cuidados de saúde

Junho 2020

Cuidados de Saúde, um novo impulso

A luta da indústria de cuidados de saúde contra o coronavírus deverá impulsionar a sua atratividade de investimento no longo prazo.

 sector de cuidados de saúde está a fazer tudo o que é possível nesta luta contra o coronavírus. As empresas farmacêuticas, de ciências da vida e de equipamentos de cuidados de saúde desenvolveram, e disponibilizaram, uma vasta gama de tecnologias e demonstraram o seu forte empenho em colaborar, em conjunto, no combate ao seu inimigo comum. Esta conjuntura poderá dar um novo impulso a toda a indústria e dinamizar as suas perspetivas de investimento no longo prazo.

O seu maior êxito poderá aparecer nos próximos 12 meses, altura em que deverá existir um aumento significativo da diversidade e disponibilidade de tratamentos eficazes para o coronavírus. O que irá melhorar significativamente a capacidade da população mundial em viver com esta doença. É verdade, a disponibilização de uma vacina irá levar mais tempo.

Continuam a existir dúvidas sobre a segurança e durabilidade dos tratamentos e ainda não é claro se as vacinas terão de ser personalizadas de acordo com os diferentes grupos demográficos (para os mais velhos, para as crianças). A concorrer para uma maior complexidade desta situação, a comunidade médica não sabe ainda durante quanto tempo é que os anticorpos protegem os que já foram infetados.

Mas, mesmo sem a descoberta rápida de uma vacina, é possível assistirmos a um grande progresso.

Por exemplo, no início do HIV, a esperança média de vida, após o diagnóstico, era de dois anos. Atualmente, com apenas um comprimido por dia, os doentes têm uma esperança de vida semelhante à de todas as outras pessoas.

O que é mais encorajador é o nível de colaboração a que assistimos no que tem sido, historicamente, uma indústria desigual e opaca. A Sanofi e a GSK – dois dos maiores fabricantes de vacinas, estão a trabalhar em conjunto. A AstraZeneca está a colaborar com a Oxford University.

Através destas parcerias, as empresas de cuidados de saúde têm a oportunidade de acelerar o desenvolvimento dos tratamentos para o coronavírus e demonstrar que é uma indústria que está ao serviço do bem comum. O que representaria uma mudança radical num sector há muito marcado por escândalos sobre o preço excessivo dos medicamentos e pela fraca transparência em termos de segurança.

Diferencial de avaliação
Diferencial price-to-earnings (PE) entre os sectores acionistas europeus
Price-to-earnings (PE) differential between European equity sectors

Fonte: Bloomberg. Período a que se referem os dados: 05.02.2001-04.05.2020.

É óbvio que a indústria farmacêutica, em particular, precisa de abandonar as estratégias de maximização das receitas no curto prazo, que tem vindo a seguir em períodos anteriores, favorecendo um modelo de longo prazo orientados para o paciente. Esta mudança levaria a uma maior estabilidade no crescimento das receitas ao longo da próxima década.

Por seu lado, isso poderia levar a um aumento da valorização das ações de cuidados de saúde. Apesar do seu forte desempenho recente, as empresas europeias de cuidados de saúde continuam a negociar com um desconto de 20 por cento relativamente aos seus homólogos no sector de alimentação e bebidas, em termos de price-to-earnings (PE). Se a indústria estiver disposta a aprender com os seus erros, a trabalhar com a sociedade e a mudar o seu enfoque para a sustentabilidade das receitas em detrimento da maximização do lucro, acreditamos que esse diferencial poderá desaparecer nos próximos anos.